menu horizontal

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Biomaterial metálico - produzido a partir de titânio

Recentemente alguns colegas me peguntaram se eu já tinha ouvido falar do Tigran PTG. Por isso posto hoje algumas informações sobre o produto. Ele é um biomaterial metálico, fabricado a partir de titânio comercialmente puro. Sua apresentação é na forma de partículas de titânio poroso, sendo indicado como um substituto ósseo.

A pelos menos 4 anos, uma amigo me informou que faria testes em sua dissertação de mestrado com um biomaterial, cujo a matéria prima era o titânio. Inicialmente pensei, qual o benefício disso? Algum tempo depois conversei com este amigo e ele comentou sucintamente os resultados e a opinião sobre o produto. 
O Tigran não é comercializado no Brasil. Existem vídeos e informações no site do fabricante. Até o momento não conheço pesquisas clínicas com o produto.




Acho que algumas considerações devem ser levantadas sobre o produto, não para crítica, mas para pensar sobre o assunto, quem sabe pesquisas futuras mostrem que ele é promissor. Enfim, as dúvidas são:
- ele não é absorvível, isso pode ser ruim a longo prazo? 
- ele só pode ser usado em sinus lift com implantação simultânea, pois se a implantação dor após a cicatrização do sinus lift, como será o uso de fresas em um tecido ósseo com partículas metálicas?
- sua porosidade permite boa formação óssea?
- se o produto ficar abaixo da gengiva ela pode ficar escurecida?

Esta última consideração pode ter sido levada em conta, já que existem fotos de um possível Tigran de coloração branca, veja abaixo.


Sem pesquisas básicas, acho perigoso o uso em pesquisas clínicas. Não acredito que o produto se mantenha no mercado por muito tempo. Qual seria a razão e o benefício de ter um produto que nunca remodele e de titânio?

4 comentários:

  1. Olá Danilo, td bem?
    Não sei se o amigo que vc se refere ali sou eu, mas minha dissertação de mestrado envolveu o Tigran, colocados em alvéolos pós-extração, e comparando essa cicatrização com o coágulo (controle) e Bio-Oss (teste 2).
    Em suma, o Bio-Oss ainda se mostra muito melhor na quantidade final de osso formado. O Tigran tem realmente a desvantagem estética, por isso foi pensado na versão white. Existem alguns artigos relatando o uso dele em sinus-lift, porém realizados simultaneamente. Ele foi usado primeiramente em próteses femurais, como material de preenchimento entre o pino e o restante da cavidade medular femural.
    Para maiores informações, posso disponibilizar uma versão da dissertação para quem quiser ler.
    O artigo foi enviado para o Clinical Oral Implants Research, onde está sob análise. Se tiver alguma notícia de publicação, aviso vc.
    E como sempre, parabéns pelo blog, to sempre lendo as novidades por aqui!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza Thiago era você mesmo a pessoa a quem eu me referia, no entanto não sabia se poderia citar o seu nome. Mas fico muito feliz que esteja sempre visitando o blog, é uma honra poder contar com o seu apoio. E se quiser disponibilizar sua dissertação e futuramente fazer uma resenha do seu artigo, com certeza será um prazer, além de ser uma ótima fonte de leitura para os visitantes. abraço

      Excluir
  2. Danilo o artigo do Thiago sobre o Tigran foi publicado no Journal of Biomedical Material Research - Part A mês passado com o título "Early healing in alveolar sockets grafted with titanium granules. An experimental study in a dog model". Já está disponível no pubmed: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23225833

    Ficou um trabalho muito com que contou também com a ajuda da Flávia Sukekava.

    Grande abraço!

    André B de Souza

    ResponderExcluir
  3. Muito legal! Parabéns a toda equipe. Agradeço por compartilhar esta informação com o grupo. Sucesso Adré e Paula

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...