menu horizontal

terça-feira, 27 de março de 2012

Regeneração de tecido gengivais - GINTUIT

Recentemente me indicaram a leitura de uma aprovação do FDA (Food and Drug Administration), onde estava publicado que o produto Gintuit, produzido pela empresa norte americada Organogenesis foi liberado para comercialização a partir de 2013.

  Esta empresa oferece produtos que visam a regeneração de tecidos tais como derme e mucosa oral. o Gintuit é o primeiro produto desta empresa voltado para a Odontologia, especificamente para Periodontia ele promete ser uma nova opção para o tratamento de retrações gengivais, deformidades de tecido mole e também a formação de tecido queratinizado.

Mas porque este é um produto diferente e recebeu atenção de tantas pessoas, sendo inclusive postado por mim hoje? Isto se deve por ele ser o primeiro produto voltado para tecidos moles, que possui células alógenas aprovado para comercialização. 

Em fase final de desenvolvimento, o produto visa ser uma  alternativa aos enxertos autógenos de tecido conjuntivo palatais. Acredita-se que nos EUA 500.000 procedimentos são realizados são realizados com o uso de enxerto de tecido conjuntivo palatal.

O produto é formado por queratinócitos e fibroblastos obtidos de doadores, incorporados em uma matriz colágena bovina (Gintuit). A ideia é que as células poderiam melhorar a cicatrização gengival, permitindo que a regeneração do tecido ocorra com a mesma cor e textura dos tecidos circundantes. A Organogênese espera dispensar a necessidade de enxertos de tecidos do paciente e regenerando esteticamente os pacientes.

O diferente nesse produto é que em geral os demais produtos são apenas veículos que atuam como arcabouço para células do hospedeiro, no entanto, o Gintuit já possui incorporado células alógenas, isso pode ser um perigo a longo prazo uma vez que pouco se sabe sobre esse uso, no que diz respeito a aplicação na cavidade bucal.

Mas o que eu gostaria de saber é como são obtidos esses queratinócitos e fibroblastos e se eles causam alguma resposta inflamatória ou reposta imunológica, infelizmente nada disso é comentado no site da empresa ou no documento do FDA.
Mais informações podem ser obtidas nos sites abaixo:




Atualmente muitos produtos vem sendo aprovados pelo FDA, os quais apresentam células alógenas aplicadas nos mesmos, para uso como substitutos ósseos por exemplo. Vamos esperar para ver as publicações futuras e acompanhamentos destes casos para que se possa ter uma opinião sobre o mesmo. 

Um comentário:

  1. Wilson Spinola Muniz26 de abril de 2012 23:04

    Mais uma opção para enxertos gengivais... Parece ser interessante, mas concordo que devemos esperar trabalhos que mostrem os resultados a médio e longo prazo.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...